sexta-feira, 30 de janeiro de 2009

Grão a grão...

... enche-se a cidade de bicicletas? Câmara cria ciclovias e parques para 'biclas'. Monsanto, Carnide, Campolide, Parque Eduardo VII, Benfica, Olaias, Bela Vista, Campo Pequeno e Avenida Gago Courinho. Parece ser, para já, o que está no horizonte da capital portuguesa. Resta saber se, no final, o panorama vai ser o de um sistema de mobilidade a duas rodas global, que funcione como um todo e que seja efectivamente uma alternativa ao automóvel, ou se vai ser uma coisa esquartejada, ciclovias a retalho sem ligação entre elas como já acontece actualmente. A ver vamos. Para já, a cidade parece ir no bom caminho.

3 comentários:

Tenrinho disse...

Eu até gostava de viver numa cidade e ter um emprego que me permitisse utilizar a bicicleta, mas infelizmente não dá... E não é por causa dos carros ou da falta de ciclovias, é mais por causa das subidas e descidas (para não falar da chuva...)
Ouve um senhor que disse que a cidade de Lisboa era "cicloviável", que se podia ir de bicicleta para o emprego. Pergunto eu onde ele trabalha... Eu não posso chegar ao meu emprego todo suado e sujo. Tenho um emprego, vá, normal...

Héliocoptero disse...

Tenrinho,

O problema da chuva é falso. Vai ao norte da Europa, onde neva com abundância, e verás que não é isso que impede as pessoas de usarem a bicicleta como meio de transporte, de estudantes a empresários, passando por professores e acabando em políticos.

Quanto ao relevo, o problema depende, de facto, do sítio onde se mora e trabalha, mas há uma solução de que raramente se fala e que consiste no cruzamento entre bibicleta e transportes colectivos: e se pudesses levar a tua "bicla" num ou mais autocarros (ou eléctricos) que fizessem as principais subidas?

Tenrinho disse...

Aí já era diferente. Não me importava nem um pouco.
Mas, infelizmente, no sitio onde trabalho não há autocarros para casa... Primeiro, deve-se modernizar, ampliar as redes de transportes públicos existentes...