segunda-feira, 25 de fevereiro de 2008

Televisão portuguesa na Galiza

O que acontece se uma família de luso-descendentes residir em França e mantiver um contacto residual com a língua portuguesa? Inevitavelmente irão absorver uma quantidade crescente de vocabulário francês, transformando o seu português num misto dos dois idiomas e, a seu tempo, deixarão de ser lusófonos. O exemplo é simples, mas serve para ilustrar o que se passa na Galiza: o galego-português, já de si fragilizado por décadas de proibição durante o franquismo e pela hesitação (ou oposição) do poder político actual, sofre uma castelhanização crescente sustentada, em boa medida, pelo facto de seis dos sete canais de televisão na Galiza transmitirem em castelhano. E, como se isso não bastasse, o único que o faz em galego utiliza por vezes uma versão "portunhol" do idioma.

Por isso, este grupo luta pela recepção livre dos canais de televisão e rádios portuguesas na Galiza, contrariando, assim, o afastamento do galego do seu grupo linguistico original - a Lusofonia - e a sua consequente absorção pelo castelhano. Voltando ao exemplo inicial, para que a tal família de luso-descendentes não deixe de falar português por falta de contacto com o idioma. A RTP passou recentemente uma breve reportagem sobre o tema:



Via Portal Galego da Língua.