quarta-feira, 11 de fevereiro de 2009

Colecção Eleições 2009 #4

Quem leu esta notícia na passada segunda-feira, segundo a qual José Sócrates disse que o casamento entre homossexuais seria uma vitória "dos valores de sempre do PS", é tentado a pensar que o Primeiro-Ministro sofre de alguma forma de doença bipolar que o faz, num dado momento, ignorar em absoluto uma questão e, passados três meses, elevá-la a bandeira do seu partido. E com o requinte de ainda ter acrescentado que não tem "orgulho na forma como a sociedade portuguesa e outras sociedades discriminavam os homossexuais ainda há umas décadas atrás." Será certamente um sentimento novo para José Sócrates, já que em Outubro de 2008 não só não demonstrou essa vergonha, como fez saber que a igualdade de gays e lésbicas não estava na agenda do PS. O mesmo partido que impôs disciplina de voto contra os seus "valores de sempre".


O comportamento errático dos socialistas no que a direitos LGBT diz respeito faz pensar que, para o partido, a palavra «igualdade» é uma coisa bonita para encher a boca, um bom face lifting para a "esquerda moderna", mas que ninguém garante que seja concretizada quando chegar a altura do voto. Já tivemos disso um exemplo há quatro meses. Não obstante o mérito do proposto na moção de Sócrates - e o impulso que isso é para nós - é de confiar outra vez?

O próximo número sai dia 25 deste mês.

Publicado em simultâneo no Devaneios LGBT

2 comentários:

A... disse...

Ele quer apenas limpar a imagem...
Mas só lhe fica mal...

Héliocoptero disse...

É verdade, A. Mas felizmente para nós, há alternativas ao voto no PS. Se os socialistas fossem o único partido com assento parlamentar a defender o casamento entre homossexuais, aí sim eu estaria a pesar a minha consciência e a pensar no que fazer.

Havendo alternativas, facilmente prefiro votar em quem tem mais credibilidade em matéria de direitos LGBT e ainda pode aumentar o número de deputados! Nesta como noutras coisas, ainda bem que não temos um sistema (tão) bipolar.